[RESENHA] Nove Vidas - Southward River

Sinopse - Kamelya Ourak praticamente nasceu dentro de uma base militar. Ela passou anos sendo estudada por um cientista brilhante e uma equipe igualmente incrível. O governo dispunha de todo o mecanismo exigido para que alguma descoberta fosse feita, mas ano após ano, parecia cada vez mais impossível descobrir o que fazia Kamelya Ourak ter um poder de telecinesia tão poderoso. Poderia matar granjas inteiras com poucos anos de vida. Ela sequer precisava estar perto de seu alvo, Ourak assassinava pessoas estando à centenas de quilômetros de distância. Seus poderes paranormais começam a se tornar cada vez mais poderosos quando conhece o soldado Zankiel Häz, que faz parte da equipe de segurança da base e é escalado para dissipar a energia em excesso da cobaia. Os anos passam e a amizade se intensifica, e cada vez mais decidida que a base militar não é o suficiente, ela decide fugir. Longe dessa trama, paira um segredo muito mais profundo, escondido à sete chaves pelo homem. O que ele não suspeita é que Kamelya sabe ler mentes.

* - *

Confesso que sou apaixonada pelo trabalho dessa autora e seus livros sempre completam meu lado mais obscuro. (risos, todo mundo tem um, a diferença que poucos assumem.)
Nove vidas é um livro diferente de tudo que vemos diariamente. Possui vários aspectos positivos em toda a trama e quase nenhum negativo.

O enredo mexe com o nosso psicológico, nos instiga a leitura, a querer descobrir qual será o destino de Kamelya Ourak que nasceu como uma super-humana e sobre diversos abusos. O livro nos mostra como funciona a mente de pessoas poderosas e seus subalternos como o Dr. Hudrick que no fim das contas não passa de um fantoche do governo em suas finalidades secretas e obscuras.

Temos um mocinho no livro que de mocinho ele não tem nada! Zankiel Häz ajuda Kamelya durante sete anos na base secreta britânica. Apesar de todo o horror e manipulação sofrida pela personagem em até certo ponto no livro, eles encontram uma forma de “driblarem” o sistema e fugirem em busca de amigos em Nova York.

Achei muito positivo a hora que o mocinho entra na estória, se não fosse a ajuda dele, ela não teria suportado por muito tempo toda aquela manipulação. Todo ser humano precisa de objetivos para seguir em frente e em Nove vidas nos passa a importância disso. Temos personagens secundários que quase não dou importância quando leio, mas, nesse livro eles fazem toda a diferença, nos ajuda a compreender melhor a situação. E quando ocorre a morte dos pais de Kamelya você percebe nitidamente que essa morte influencia no rebelamento da mesma. 

A trama é marcada por fatos curiosos, intensos, que me fez sentir cada sentimento dos personagens: alegria, tristeza, amor, compaixão, dor e raiva. Sabemos como é difícil hoje em dia o autor conseguir transmitir ao leitor o que deseja, mas em Nove vidas você sente isso com intensidade absurda. Outro ponto positivo é que a estória nos trás a importância de uma amizade longa e duradoura.

As partes negativas são duas, primeira: o livro poderia ter uma trama mais longa. Segunda: É que nem todos são adeptos a linha de raciocínio desse livro. A pressão psicológica e torturas são marcantes para quem não curte esse tipo de leitura.

Mas uma coisa eu digo a vocês, deem uma chance a Nove vidas, abram as suas mentes e busquem novos horizontes. Onde há anjos e demônios sempre ocorrerão batalhas e a pior batalha é a nossa própria.

Kamelya Ourak uma super-humana, Zanquiel Häz um demônio disfarçado em busca da alma de Ourak.

No final o que realmente importa é o amor.

*-*
21/12/16
Você pode adquirir o e-book clicando aqui